Archives for posts with tag: tecnologias

Image Foi criada uma rolha com chip que revela todas as informações sobre o vinho desde a temperatura a que esteve sujeito até à data do engarrafamento. Este projecto foi desenvolvido por Ricardo Gonçalves, estudante de doutoramento em Engenharia Electrónica no Instituto de Telecomunicações da Universidade de Aveiro. 

O custo inicial será de 1 euro, e esta rolha pode ser útil aos produtores e aos proprietários de restauração, que com este novo sistema podem garantir a qualidade do vinho aos clientes e combater a falsificação do produto. 

Para usar a rolha, é preciso um leitor RFID para extrair os dados, que comunica por “Bluetooth” ou cabo USB a um computador, ou a um smartphone.

Advertisements

A instapaper é uma aplicação disponível para telemóvel, tablet, computador ou Kindle. Tem o objectivo de guardar noticias para que o utilizador tenha a oportunidade de as ler mais tarde.

Através do browser, cada utilizador pode escolher o que pretende guardar para ler depois. Para isso basta clicar no applet que o serviço pede para integrar na barra dos favoritos.

Para além disso, ainda é possível transferir conteúdos entre dispositivos com o apoio das aplicações para iOs (Iphone e Ipad), Android e Kindle. No kindle pode programar uma newsletter e será entregue diariamente através de wireless.

O serviço foi fundado em 2008, contudo a empresa Betaworks só o adquiriu na primavera de 2013.

Fonte: sol.sapo.pt

ImageUma cadeira de rodas inteligente, aplicações para planeamento e escalonamento de cirurgias ou tecnologias para medir risco de AVC são alguns dos projetos desenvolvidos por investigadores do INESC TEC (Laboratório Associado coordenado pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores do Porto).

No total, serão exibidos no “Open Day INESC TEC SAÚDE 2014” 34 projetos com tecnologias consideradas inovadoras para a saúde. Esta iniciativa tem como objetivo identificar parceiros interessados em explorar os resultados dos projetos de investigação apresentados.

A meu ver, este tipo de projetos que visam o desenvolvimento e melhoria em áreas como a saúde representam sempre algo positivo, é importante aproveitar o avanço e progresso tecnológico para desenvolver áreas de interesse. Os cuidados de saúde são essenciais e os avanços nesta área são importantes, pois ajudam a prevenir e tratar certos casos. Esperamos que entidades, empresas e/ou utilizadores invistam nestes projetos de investigação, de forma a transpor para o mercado diversas e melhores soluções. Além de possibilitar melhorias na área da saúde, ajuda a tornar o país mais competitivo nesta matéria.

Fonte: Diário de Notícias, através de Google News

Não demorou muito para aparecer algum problema de saúde devido ao excessivo uso da tecnologia no nosso meio. Médicos sul-coreanos têm relatado um aumento nos casos do que eles denominaram de “demência digital” entre os jovens. A pesquisa constatou que 15% dos homens e mulheres com idades que variam de 18 a 39 anos, se queixaram da sua má memória.
O estudo culpa o estilo de vida moderno para o aparecimento do problema, que conclui que passar muito tempo no computador, falar muito ao telemóvel ou jogar jogos por várias horas, dificulta as pessoas de memorizar informações.
A maioria dos adolescentes e até mesmo adultos é incapaz de viver sem as novas tecnologias. É raro o adolescente que sai de casa sem o seu telemóvel, tornando-se assim, bastante dependentes da tecnologia digital. Em consequência disso, alguns tornam-se incapazes de se lembrar de detalhes do quotidiano ou até mesmo sofrer de falta de concentração nas aulas ou no trabalho.
Image
Fonte: Jornal O Tempo

ImageInspirado no Google Glass, chega ao mercado um novo produto que, através de inteligência artificial, auxilia invisuais a ler ou identificar objetos. Basta apontar para o objeto e, com a ajuda de uma pequena câmara presa à armação dos óculos, identifica ou ajudar a procurar o objeto em questão. Um pequeno vídeo disponível na internet mostra como esta nova tecnologia pode ajudar a superar a limitação   (http://www.youtube.com/watch?v=nrWfLAh2T3k ). Neste vídeo, a mulher, Liat, consegue realizar várias tarefas consideradas simples, mas impossíveis para quem tem este tipo de limitações, como identificar o número do autocarro ou até mesmo ler um cardápio, com a ajuda deste equipamento. Este sistema, que torna os óculos capazes de ler e descrever textos e objetos, por enquanto encontra-se disponível apenas nos Estados Unidos.

Inúmeros investigadores de todo o mundo, exploram o potencial da tecnologia de modo a associa-la a soluções de acessibilidade e visão computacional, para assim ajudarem deficientes visuais a ter mais autonomia, superando os softwares e aplicativos para smartphones hoje disponíveis.

Existe ainda uma outra invenção capaz de ajudar deficientes visuais com capacidade de perceção de luz a melhorarem sua orientação espacial criada por Stephen Hicks, pesquisador de neurociência da Universidade de Oxford. Este desenvolveu uns óculos que detetam formas tridimensionais e permitem ao utilizador ver objetos próximos. O produto é composto por duas câmaras na parte frontal da armação que captam as imagens e as exibem numa tela OLED transparente na parte interna, criando assim um sistema de realidade aumentada para orientar o deficiente em relação ao que está na sua frente. Estes óculos possibilitam assim um maior conhecimento do espaço ao utilizador, dando-lhe mais confiança e autonomia.

O desenvolvimento das tecnologias possibilita então a criação de soluções para os necessitados. Não nos devemos esquecer deste tipo de pessoas com dificuldades, devemos aproveitar o desenvolvimento tecnológico para a criação deste tipo de sistemas que podem realmente fazer a diferença na vida dos utilizadores, tornando assim mais fácil a realização de tarefas. Estes produtos não permitem ao utilizador recuperar a visão, mas dá-lhes um mais fácil acesso à informação que procuram.

Fonte: blogs.estadao.com.br, através de Scoop.it