Archives For author

Google Glass Sex é a nova aplicação do google, é apresentada como a nova aplicação para “apimentar” relações.
Tem o nome de Sex with glass e ainda não está disponível no mercado, a sua preparação ocorre em Londres e promete revolucionar a vida de muitos casais.
Sherif maktabi, responsável pela aplicação (app) revelou ao jornal The Guardian que “a intenção não é gerar polémica, mas sim contribuir para novas experiências, melhorando a vida dos casais,
Esta app permite observar tudo aquilo que o outro membro da relação está a fazer ou a ver, permitindo visualizar de vários ângulos a relação podendo gravar tudo aquilo que o utilizador desejar. Não existe entraves no campo da privacidade, pois o Google Glass elimina automaticamente qualquer gravação ao fim de cinco horas.
Para além disto, os óculos poderão dar sugestões durante a relação, como os gostos do parceiro ou o que deve ser melhorado para que a relação perdure.

 

Fonte: http://www.tecnologia.com.pt/2014/01/google-glass-sex-pode-apimentar-sua-relacao/Imagem

 

Advertisements

Austrália usa Twitter para avidar que há tubarões por perto

Com resultado da morte de 11 pessoas vítimas de ataques de tubarões, nos últimos 10 anos, o governo do Oeste de Austrália decide tomar medidas para tentar diminuir mortes por ataques desta espécie.

Assim, cientistas australianos marcaram aproximadamente 330 tubarões com transmissores e a partir destes enviam os avisos através do Twitter (https://twitter.com/). Quando estes se aproximam da costa ocidental, a cerca de 800 metros, o transmissor aciona um alerta no computador, que em menos de dois minutos envia uma mensagem pelo Twitter, através da conta Surf Life Saving WA (SLSWA) (https://twitter.com/search?q=Surf%20Life%20Saving%20WA%20(SLSWA)&src=typd).
Para além do alerta, no tweet ainda informa o tamanho do tubarão, a espécie e a localização aproximada.
Os transmissores estão a ser colocados em várias espécies, sendo elas: tubarão-baleia, tubarão-tigre, tubarão-branco e ainda nos maiores peixes predadores dos oceanos que já foram responsáveis por mortes de banhistas e surfistas.

Contudo, os ambientalistas estão descontentes com esta medida. Defensor dos animais Ross Weir, do grupo Western Australians for Shark Conservation (WASC) (http://www.gofundme.com/5swai0) em declarações ao jornal The Independent referiu, “esta é uma reação instintiva simples, que não está baseada na ciência. Não vai ter qualquer benefício para a segurança dos banhistas e vai ter efeito dizimador nos tubarões-brancos e nas outras espécies em perigo de extinção”.

Fonte: Jornal Público

Internet em 2013

A Internet pode ser considerada como um ‘outro mundo’, que tem vindo a crescer de dia para dia e ao longo de todos os anos. O ano de 2013 não foi exceção, este ano os utilizadores da Internet chegaram quase a 40% da população mundial.
Assim, os grandes nomes da rede continuam a crescer a ter uma posição fixa a nível global.
Como já era de esperar o Google continua a ser o motor de busca mais usado por todos os países. E sem grandes admirações, o Facebook continua como sendo a rede social em primeiro lugar no top.
Relativamente apenas aos portugueses, nós também aumentamos no que se trata da utilização da internet.
Os sites nacionais de classificados de emprego foram os sites mais procurados pelos portugueses seguido dos sites de Bancos que receberam mais 3,8 milhões de visitantes, residentes em Portugal.

Fonte: Correio da manhã, através do link: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/ciencia/tecnologia/os-numeros-da-internet-em-2013

A tecnologia tende a avançar de dia para a dia, e os 12 meses do ano é considerado muito tempo para o mundo tecnológico. Assim, as empresas que não conseguem fazer face ao desenvolvimento tecnológico vão ficando “esquecidas”.
Em torno deste assunto, o jornal público escreveu uma noticia sobre a mesma intitulado como “os vencidos e vencedores na tecnologia de 2013”.

No grupo dos “vencidos”, existem várias marcas, duas das mais conhecidas são a Black Berry e a empresa Windows.

O ano para a Black Berry (http://pt.blackberry.com/) dificilmente podia ter corrido pior, no principio do ano apresentou um novo sistema operativo e ainda dois modelos de telemóveis que teve um resultado pouco esperado por parte da empresa, tanto um como outro modelo foram um fracasso de vendas. Passado alguns meses, a e após várias tentativas de encontrar um comprador, a empresa considerou que a “solução” passava por mudar a equipa de gestão e aumentar o capital. Neste final de ano a empresa comunicou que teve prejuízos trimestrais recorde.
A outra empresa que pertence a este grupo refere-se à Windows (http://windows.microsoft.com/pt-pt/windows/home) que no inicio do ano, lançou o Windows 8, que veio causar frustrações a muitos consumidores. A meio do ano lançou o Windows RT que parece ter sido uma aposta falhada. Também para a Windows o ano de 2013 não foi um ano particularmente bom.

Contudo para algumas empresas este ano foi um ano glorioso, são os considerados “vencedores” e neste estão presentes entre outros duas redes socias, o Facebook e o Twitter.
Comhecida como a rede social dos 140 caracteres, o Twitter (https://twitter.com/) está longe da dimensão do Facebook mas realizou uma entrada em bolsa muito bem sucedida, que a fez pertencer a este grupo.
Já o Facebook (https://pt-pt.facebook.com/),que no ano passado (2012) estava a enfrentar um grande problema, pois não estava a conseguir rentabilizar o número cada vez maior de utilizadores através de dispositivos moveis, contudo a empresa ainda o ano passado conseguiu ultrapassar o problema e já no inicio deste ano lançou uma nova estratégia de publicidade para estes dispositivos o que lhe garantiu sucesso e capacidade para fazer parte dos “vencedores” de 2013.

Ferramenta de pesquisa: http://http://www.scoop.it/

No decorrer de um debate promovido pelo Centro de estudos da Mídia Alternativa (http://http://www.baraodeitarare.org.br/), o sociólogo e jornalista espanhol Ignacio Ramonet (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ignacio_Ramonet), discutiu sobre os desafios e as transformações da comunicação na era digital. Este debate contou também com a presença do jornalista Luis Nassif (http://http://pt.wikipedia.org/wiki/Ignacio_Ramonet).
Ramonet, autor do livro: “A exploração do jornalismo – da mídia de massas às massas de mídia” apresentou o seu livro e discutiu questões presentes nele. O sociólogo tem como uma das suas marcas, a crítica ao papel político e conservador desempenhado pelos grandes conglomerados da comunicação. Neste debate Ramonet fez também referência à potência democrática das ferramentas digitais e da internet para o crescimento da comunicação.

Link de pesquisa: http://www.brasildefato.com.br/node/26196

 

 

 

 

Ferramenta de Pesquisa: Google News
Na ocorrência de um debate organizado por Paulo Moura, jornalista e professor na Escola Superior de Comunicação Social com o tema “O Regresso do jornalismo” onde os desafios do jornalismo na Era digital foi o ponto principal. Falaram relativamente às mudanças a que este jornalismo obriga e  a forma como se transmite as noticias.
O professor explicou ao DN que o seu objetivo com este debate era “falar do jornalismo narrativo literário, de investigação, da grande reportagem” e discutir-se essencialmente se “esse jornalismo é possível na Era da Internet ou não”.
Nesta conferência participaram ainda Amy O’Learny, jornalista norte-americana que trabalha como repórter no New York Times, que está a realizar experiências no estrangeiro nesta área.

Fonte: Diário de Noticias

“Us now mostra o poder da Internet nos dias de hoje, como foi evoluindo e como é indispensável para a sociedade. Todos nós nos habituamos a ela para tudo, e o documentário mostra isso mesmo, dá-nos a perceber que não só a nível social é importante, mas também a nível económico e politico.
No meu ponto de vista, o documentário retrata bem a actualidade em que vivemos, onde todos, utilizam a Internet, uns para questões profissionais, outros para procurar informações e outros para socializar, é bem visível como somos dependentes dela em qualquer parte do mundo.