O Governo do Equador excluiu as redes sociais do controlo dos media, previsto no âmbito de uma nova legislação controversa sobre a comunicação, de acordo com a proposta de lei divulgada na terça-feira.

Adotada no ano passado por iniciativa do Presidente socialista, a legislação sobre a comunicação prevê a criação de um conselho de regulação dos ‘media’ que os poderá sancionar, um órgão considerado pela oposição como um desejo disfarçado de censura.

Depois de ter ameaçado incluir na legislação as redes sociais, como o Facebook e o Twitter, Correa, atual presidente do Equador, decidiu descartar esta possibilidade.

Fonte: http://dinheirodigital.sapo.pt

Advertisements