Image

 

Um grupo de investigadores, baseando-se no conceito de ‘meme’ criado em 1976 pelo biólogo britânico Richard Dawkins, resolveu estudar como se propagam e que mutações sofrem as mensagens no Facebook.

Estes investigadores, com o estudo ‘Evolução da Informação nas Redes Sociais’, pretenderam demonstrar que à medida que uma mensagem original é partilhada no Facebook esta vai sofrendo mutações. Ao avaliar diversos factores, permitiu descobrir que a preferência dos utilizadores são os textos curtos e concluiu-se que as mutações são realizadas essencialmente no início ou no fim do texto.

Para além destes dados, descobriu-se ainda que estas modificações são de extrema importância, pois determinam que a mensagem se espalhe por um determinado núcleo de utilizadores com determinado perfil, observando-se assim uma ‘selecção’ de ‘público alvo’.

Conclui-se portanto que os memes, sendo um tipo de mensagem básico, têm dois ingredientes fundamentais, a replicação e a mutação

Fonte: Jornal Público

Advertisements