O Skype assegura, que a informação dos utilizadores se mantém segura, depois do Exército Eletrónico Sírio assumir o controlo temporário das contas do Skype nas redes sociais como o Facebook e o Twitter ou blogues.

O ataque foi lançado por um grupo de piratas informáticos, o Exército Eletrónico Sírio, que apoia o regime do Presidente sírio, protestando contra a espeionagem realizada pela Agência Nacional de Segurança norte-americana, a qual acusou a Microsoft, da venda de informação dos utilizadores aos governos.

O piratas tiveram tempo de enviar diversas mensagens das quais os utilizadores eram alertados de que as suas informações poderiam ser vistas pelo governo, caso estes usasses as contras de correio eletrónico da Microsoft no serviço de chamadas de voz e vídeo via Internet. Ainda assim, o Skype recuperou o controlo das suas contas.

O Exército Eletrónico Sírio, referia-se a informações reveladas em 2013, pelo antigo analista da NSA, das quais o Skype formava o programa da NSA com o intuito de vigiar comunicações através das grandes empressas de Internet nos EUA.

O skype comunicou e reconheceu, que as suas contas nas redes sociais e no blogue, tinham sido pirateadas temporariamente, mas afirmou ter recuperado de forma eficaz, o controlo, não comprometendo quaisquer tipo de informação dos utilizadores.

Este não é o primeiro ataque do Exército Eletrónico Sírio, que lançou, no ano passado, por várias vezes, ataques que tiveram como alvo as páginas na Internet dos jornais New York Times e Financial Times e uma conta da BBC no Twitter.

É óbvio que os utilizadores ao permitir o acesso as informações pessoas nas redes sociais, estão sujeitos a este tipo de precauço, devendo sempre manter as mesmas em segurança e fora do alcance alheio, ainda que assegurem toda a informação que possam referir. Os responsáveis por toda esta situação é não só a empresa que controla todas estas redes sociais, como também do utilizador que ao expor, ainda que não de forma totalmente visível, toda a sua informação nas contas socias. Há por assim dizer, uma conscielização de ambas as partes, e é cada vez mais importante reconhecer que a privacidade e segurança dos utilizadores são dúvida um factos importante aos quais devem sempre ser respeitados e mantidos em privado, impedindo o acontecimento destas situações.

Fonte: Jornal De Notícias

Advertisements